"Ele está de braços abertos a lhe esperar, Ele está a lhe dizer, que o ama... Jesus te ama!!"

"Ele está de braços abertos a lhe esperar, Ele está a lhe dizer, que o ama...       Jesus te ama!!"

ATENÇÃO

OLÁ AMIGOS, MEU NOME É ANGELA, ESTE É UM TRABALHO INTERDENOMINACIONAL.
SOU EVANGELISTA E PROCURO CUMPRIR ESTA LINDA TAREFA DE LEVAR A PALAVRA DE DEUS ÀS PESSOAS, PARA HONRA E GLÓRIA DO NOME DO SENHOR JESUS.
ESTE BLOG SURGIU PELA SUGESTÃO DE UMA AMIGA, POIS, HAVIA ESCRITO UM LIVRO, E COMO NÃO TIVE A POSSIBILIDADE DE PUBLICÁ-LO, DEPOIS DE 5 ANOS GUARDADO, ELA ME SUGERIU EM 2010, COLOCÁ-LO EM UM BLOG.
FOI O QUE FIZ, O LIVRO É COMPOSTO DE CARTAS, AS QUAIS, IRÃO APARECER EMBAIXO NA TELA, POR SER UM BLOG E NÃO UM SITE.
PARA VISUALIZAR O LIVRO NA ÍNTEGRA, CLIQUE EM 2010.
ALÉM DAS CARTAS, POSTO O QUE EU ESCREVO OU DE OUTROS AUTORES, QUE LEIO E ACHO INTERESSANTE COMPARTILHAR.
QUE DEUS OS ABENÇOE MUITO!!!!!!!!
LEIA E COMPARTILHE!
GRAÇA E PAZ!
COM AMOR EM CRISTO JESUS,
ANGELA

Páginas

Arca de Noé... Arca da Aliança... JESUS ARCA DE AMOR!

Em Mt 24:12 está escrito: "E por se multiplicar a iniquidade, o amor se esfriará de quase todos". Se Deus é amor, e se o amor esfriar, o próprio Deus se esfriará nos corações. Que coisa terrível! Deus se esfriando em nossas vidas! Mas Ele disse de: "quase todos", ou seja haverá aqueles nos quais o amor, não se esfriará. Aleluia! Louvado seja Deus por isto. Então, este Blog, é uma tentativa de barrar este processo, não deixando que este amor se esfrie nunca. Pois, foi por amor que Ele morreu por mim e por ti. E nunca deixaremos de amá-Lo, nem aos Teus filhos. Amém

EXPLICAÇÃO DO TÍTULO

• No tempo do Antigo Testamento, o coração do homem se corrompeu de tal forma que Deus se arrependeu de tê-lo feito, pois este se tornou mau, olhando apenas o que os olhos podiam ver, esquecendo-se do que se passa no interior do ser humano, os sentimentos e virtudes.
E Deus achou em Noé um homem justo e o salvou e também a sua família ordenando-o a construir uma arca.

Chamada de
ARCA DE NOÉ.

• No tempo de Moisés, Deus ordenou que se fizesse uma caixa na qual estariam os Dez Mandamentos dentre outros itens, ela era de madeira de acácia revestida de ouro puro, ficava num lugar chamado Tabernáculo, dentro do Santo dos Santos e só os sacerdotes tinham acesso a ela, uma vez por ano, no Tabernáculo também se sacrificavam cordeiros, bodes, etc, pois, acreditavam que o sangue destes animais os purificava de pecados.

Esta arca se chamava, ARCA DA ALIANÇA.

• Mas, Aleluia! Deus enviou Seu Filho Unigênito para derramar Seu sangue para perdão dos pecados da humanidade inteira, “o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo”, e de uma vez por todas, levou sobre Ele nossos pecados, não havendo mais necessidade de sacrifício de animais, e ao morrer, o véu que separava o Santo dos Santos do Tabernáculo, foi rasgado de alto a baixo, ou seja, isto significa, que o lugar em que se tinha acesso a Deus, uma vez por ano, e só o sacerdote poderia entrar, com o sacrifício de Jesus, todos os seres humanos, podem ter esse acesso à presença Dele, 24 horas por dia, o ano inteiro, como era desde o início da criação, quando o homem tinha plena comunhão e acesso a Deus. Ou seja, Jesus nos resgatou de volta ao nosso Criador. Restaura o coração corrompido pelo pecado e afastado de Deus, nos levando de volta a presença do Pai.

Onde a Arca da Aliança estivesse, aquele lugar era abençoado, pois, ela simbolizava a presença de Deus.
Com a morte e ressurreição de Jesus, ali em Pentecostes, o Espírito Santo foi derramado, sobre as pessoas, nos tornando esse templo (lugar de morada de Deus), e portanto, somos abençoados onde formos, pois, o Espírito Santo de Deus habita em nós.
" Deus nos amou de tal maneira que deu Seu filho Unigênito para que todo aquele que Nele crer não pereça, mas, tenha vida eterna”. (Jo 3:16)
AMOU, foi por amor que Ele nos salvou, por isto, o título:
JESUS, ARCA DE AMOR!

****************************************************************
QUEM SOU EU
Meu nome é Angela, sou casada, tenho dois filhos, sou do estado de Minas Gerais, e, através de um chamado de Deus, trabalhei muitos anos, com pessoas com problemas diversos,
presidiários, etc.
Escrevendo cartas, com base evangelística para várias lugares do Brasil, hoje continuo escrevendo cartas específicas, para cada situação difícil do cotidiano das pessoas, dilemas com drogas, casamentos, depressão, enfermidades, perdas de entes queridos, etc.
Meu plano inicial, era publicar em um livro, as quase 300 páginas que eu havia escrito, mas, não foi possível, pelo alto custo.
Foi então, após estas cartas ficarem guardadas quase 5 anos, resolvi publica-las neste Blog.
O livro foi postado em 2010.
É só clicar lá.
Não recebo recursos financeiros por este trabalho, mas, creio que a recompensa vem do alto.
O que peço é a proteção para minha família, em especial meus filhos, marido...
São palavras, vindas do coração de Deus, pois, foi em lágrimas e lutas, que muitas delas escrevi.
Sou, apenas um instrumento nas mãos do Senhor, para levar a Palavra Dele.
Me formei em Administração (não exerço a profissão) e Teologia, além de estudar a Palavra de Deus, anos a fio, com lutas e provações.

Muitas coisas não coloco só como teoria, pois, várias senti na carne e no espírito, então foi experiência vivida, que Deus me permitiu passar, para ajudar quem estivesse passando pelos mesmos problemas.

O que procuro fazer, é ser fiel nas palavras que Deus coloca em meu coração, e faço o possível, para transmiti-las da forma mais coerente e eficaz possível.

Espero, que este Blog possa te ajudar a passar pelas lutas e dificuldades, possa também, levar a você a alegria e a paz que só Jesus pode dar e saber que por maior que seja a luta, você não está só, tem pessoas que (se você procurar uma igreja) te ajudarão em oração e o Senhor estará contigo para te livrar e te ajudar.

Deus lhe abençoe e saiba que você é muito amado por Deus.
Um grande abraço.
Com amor, em Cristo,
Angela.

Meu e-mail é: amserrap@yahoo.com.br
Dê sua sugestão, opinião, diga o que achou do Blog.
Para mim, é muito importante seu comentário.
Obrigada!







MENSAGENS DE EXORTAÇÃO

05 agosto, 2017

ALEGRAI-VOS COM OS QUE SE ALEGRAM, CHORAI COM OS QUE CHORAM

Olá irmãos!
Graça paz!
Existem  atitudes, que as vezes,
os seres humanos tem, que desagradam
profundamente a Deus, vão contra o que Ele diz.
Um exemplo é o que está escrito
no versículo abaixo:
Alegrai-vos com os que se alegram
e chorai com os que choram”. (Rm 12:15)

Quantas vezes, quando nosso próximo se alegra
com uma vitória, não nos alegramos com ele,
ou quando se entristece com algo,
não nos entristecemos com ele, pior,
há os que fazem o oposto,
alegra-se com a tristeza do outro e 
se entristece com sua alegria.

As vezes, dentro mesmo, das igrejas,
vemos tal situação,
quando uns ainda querem ser juiz do irmão,
dizendo: “mas fulano, merece estar passando por isto,
não estava buscando a Deus com intensidade... “ ,
“fulano está assim, porque não é fiel a Deus...”
e assim por diante.

Queremos, as vezes, exercer a
“justiça própria”,
 julgando, sem ao menos perguntar o motivo,
sem ao menos ter um pouquinho de
misericórdia para com o outro.

Só Deus e nós mesmos sabemos nossos motivos,
para agirmos de determinada forma, mas,
infelizmente para julgar tem muitos,
mas para amparar, interceder, consolar, são poucos.

Alegrar quando o outro se alegra!
Chorar junto quando o outro está triste!
Essa é a atitude bíblica!

Também, não é chorar, mas por dentro
está sorrindo pela tristeza do outro,
pois, não enganamos a Deus.
E nem sorrir, quando por dentro 
não está feliz com alegria
do outro, pois, Deus sonda mentes 
e corações e bem sabe,
onde está a sinceridade e onde há engano.

A nossa carne, que sempre milita 
contra nosso espírito(ver Gal 5),
sempre vai querer julgar, vai querer 
que não tenhamos misericórdia,
nem compaixão, mas quando lemos  a
carta do apostolo Tiago 2:13, 
vemos que o Espírito Santo,
nos diz de forma clara,
que o sentimento de misericórdia,
está acima do nosso ímpeto de julgar:
Porque o juízo é sem misericórdia 
para com aquele
que não usou de misericórdia. 
A misericórdia triunfa sobre o juízo”.

Ou seja, em primeiro lugar,
devemos ser misericordiosos, 
ao invés de julgar e ou 
exercer a justiça própria.
Seguir as orientações do nosso 
Mestre e Senhor Jesus Cristo,
que também disse em Mt 7:1-2:
Não julgueis, para que não sejais julgados.
Pois com o critério com que 
julgardes, sereis julgados;
e com a medida com que tiverdes medido, 
vos medirão também.”

Infelizmente, há a inversão de valores,
onde o que não é bíblico, as vezes,
prevalece sobre os ensinamentos do Senhor.
E o mal,passa-se por bem e o bem por mal.

Que Deus, nos ajude a viver,
conforme os ensinamentos bíblicos e assim,
não pecar contra Ele, nem em atos,
nem em palavras, nem em omissões,
porque, infelizmente, muitas vezes,
somos omissos, em ajudar, em ler mais a Bíblia, etc.

Termino aqui, com uma linda citação de Augusto Cury,
sobre o Senhor Jesus:
“Que o Mestre dos mestres lhe ensine que nas falhas
e lágrimas se esculpe a sabedoria.
Que o Mestre da sensibilidade lhe ensine a contemplar
as coisas simples e a navegar nas águas da emoção.
Que o Mestre da vida, lhe ensine a não ter medo
de viver e a superar os momentos mais 
difíceis da sua história.
Que o Mestre do amor, lhe ensine que a vida é o maior
espetáculo no teatro da existência.
Que o Mestre inesquecível, lhe ensine que os fracos
julgam e desistem, enquanto os fortes 
compreendem e têm esperança.
Não somos perfeitos.
Decepções, frustrações e perdas sempre acontecerão.
Mas Deus é o artesão do espírito e da alma humana.
Não tenha medo.
Depois da mais longa noite surgirá o 
mais belo amanhecer.
Espere-o”.
Que Deus os abençe!!!!
Graça e paz!!
Com amor, em Cristo!

Angela.

07 julho, 2017

REPENSANDO A VIDA - Pe. Roger Araújo

Olá amados irmãos e amigos,
que a graça e a paz do nosso Senhor e
Salvador Jesus Cristo seja com todos vocês!!
Vou compartilhar uns trechos de um livro que
estou lendo do Pe. Roger Araújo,
cujo título é Repensando a Vida:

“Devo provocar dentro de mim
esta revolução: ser humilde e ao mesmo tempo
ousado e corajoso para conceder mais qualidade
à minha vida.
Esta revolução me faz melhor e permite que
minha vida evolua e progrida, em vez de andar pra trás.

Sou responsável pela minha vida.
Eu  devo administrá-la, como a vida deve ser;
afinal de contas, cada pessoa tem uma história,
uma realidade, e os desafios surgem para cada
um de formas diferentes, distintas.

Com tudo que aprendemos até hoje,
podemos olhar pra trás e perceber que
acertamos e erramos em nossa trajetória.
Se quisermos continuar nosso caminho mais
acertando que errando, devemos aprender,
a rever nossa própria vida.

Quando falamos em revolução e em mudar o mundo
e a sociedade em que vivemos,
devemos tem em mente que a maior revolução
que podemos fazer e desenvolver a capacidade de
rever conceitos, visões, pontos de vista e nosso
próprio comportamento.

Podemos, e precisamos e sempre rever as nossas prioridades.
O que foi importante ontem talvez não seja hoje,
e talvez não estejamos dando prioridade ao que
realmente importa.

Rever a vida é o maior presente que podemos
dar a nós mesmos, e significa que eu levo a vida a
sério e quero cuidar de mim mesmo.
Rever, repensar, reorientar, refletir a vida, não significa,
em absoluto, abandonar compromissos ou simplesmente
aventurar-se em algo novo.

Antes de tudo, requer a disposição de lançarmos um
olhar sobre nossas atitudes,
gestos e conceitos e a coragem de encarar com alma
nova os desafios e as provocações da vida,
sem se intimidar ou se acomodar diante das contrariedades.
Essa é uma atitude de quemnão quer viver de qualquer jeito.

Estamos acostumados a lidar com êxitos e decepções
em nossa caminhada.
Cada êxito merece serenidade e postura querer ser melhor.
Porém, só avançamos nos degraus da maturidade à medida
que aprendemos a encarar também as decepções como
oportunidades de superação e de revisar a própria vida.

As rupturas, os rompimentos e os reparos da vida
Decepções e mágoas geram rupturas dentro de nós.
Pequenas rupturas são tratadas com mais facilidade:
basta o tempo e a vontade de querer cicatrizar a ferida,
e o mal feito será reparado.

De acordo com o grau do erro do outro e a sensibilidade
do coração de cada pessoa, algumas mágoas podem
até ser relevadas e facilmente esquecidas.
No entanto, quando algo se rompe dentro de nós,
é um erro querer voltar ao que era antes ou simplesmente
 ignorar o que aconteceu.

Só rompemos com algo porque a forma como as coisas
estão sendo conduzidas não são corretas,
e nós atingimos nossos limites.
De fato, embora cada um reaja de uma maneira diferente
um acontecimento, a estrutura humana só consegue
relativizar as coisas até determinado ponto.

Quando atingimos esse ponto, o rompimento
torna-se uma realidade.
Por outro lado, não podemos, com imaturidade,
querer desistir de qualquer coisa por conta das
dificuldades ou dos desapontamentos que sofremos.
Todo rompimento deve acontecer primeiro
no nosso interior.

E aqui, rompimento quer dizer disposição de se rever,
de abrir mão das escolhas erradas e das opções
incoerentes que nós mesmos fazemos.

Nunca culpe os outros pelas escolhas que você mesmo fez.
Ser adulto significa, antes de qualquer coisa,
ter a capacidade de fazer escolhas.
Ninguém pode escolher por você.

Romper com as incoerências e admitir que refletimos
pouco quando fazemos nossas escolhas são sinais de
maturidade que nos possibilitam ter mais êxitos
nas próximas escolhas.

Quando você é capaz de rever seus próprios erros
e perceber onde poderia ter sido menos ingênuo
nas suas decisões, as rupturas deixam de ser simples
rompimentos e se tornam chances,
que você dá a si mesmo, de recomeçar.
Muitos dos nossos relacionamentos estão
estupidamente corrompidos e corroídos porque
foram mal conduzidos.
Antes que eles se rompam totalmente,
permita que as pequenas rupturas já existentes,
porventura ignoradas, sejam revistas e redirecionadas.

Eu acredito na força do perdão e do recomeço em
qualquer esfera do relacionamento humano.
Só não insista nas mesmas fórmulas, nos mesmos erros:
é preferível um relacionamento renovado,
ainda que seja pela dor, do que insistir na velha ferida,
que nunca cicatriza.”  (Pe. Roger Araújo)

Sim, querido irmão e amigo, se for pra rever a vida,
se for pra recomeçar, que seja com Jesus, pois,

Ele sim, com certeza nunca há de nos decepcionar.

Ele nos dá a chance de recomeçar.
Esquecer o velho homem cheio de pecados e 
dar lugar a nova criatura, através do novo nascimento
"importa-vos nascer de novo... da água e do espírito".

Significa, abandonar a vida de pecado e se 
revestir de uma natureza santificada pelo sangue de Jesus.
Só Jesus tem o poder de transformar o coração do homem.
Não desperdice esta chance de recomeçar de uma forma 
diferente, com certeza a verdadeira paz e a verdadeira alegria,
encherão seu coração.

Entregue agora mesmo sua vida a Jesus.
Ore pedindo a Ele que faça morada permanente em seu coração.
Tudo se agitará, os problemas continuarão, mas você
passará por eles com mais força, direcionamento, sabedoria...
Que Deus o abençoe!!!!
Com amor, em Cristo!
Angela.

02 junho, 2017

PROBLEMAS...

Problemas...problemas... problemas...
Quem não os tem?
Uma vez ouvi alguém dizer que problema
é diferente de fato.

Fato é algo consumado,
como alguém que deixa esta vida,
como parte de nosso corpo é amputado,
isto é um fato.

Já o problema se tem alguma solução,
seja hoje, amanhã, daqui há cinco, dez,
vinte anos, mas se há como resolver.

O problema do problema é que na
maioria das vezes, queremos resolver
nossos problemas para ontem,
não temos um pingo de paciência
para esperar Deus nos ajudar,
queremos resolver pelas nossas próprias forças,
com o nosso próprio entendimento, obstinação...
sem pedir conselho a Deus ou esperar o Seu agir.

Claro, que podemos compartilhar com alguém e
pedir conselhos a alguém confiável, mas,
as vezes as pessoas não nos aconselha bem,
as vezes coloca ainda mais “lenha na fogueira”.

Certa vez o Senhor Jesus pediu ao apóstolo
Pedro para apascentar o rebanho, ou seja,
uma tarefa bastante difícil, pois,
o ser humano é um tanto quanto complexo e
difícil de se relacionar, mas, o pedido do Senhor,
foi que Pedro trouxesse paz ao coração das pessoas.

E quantas vezes, infelizmente,
vemos pessoas passar problemas com cônjuge,
filhos, colegas de trabalho,
dentro das igrejas e chega alguém
e só faz dar conselhos errados,
fazendo com que a pessoa que passa por problemas,
fique ainda mais nervosa e chateada,
ao passo que se tentarmos confortá-la,
fazendo com que ela tenha amor
pela pessoa que a está chateando,
podemos apaziguar um pouco a situação.

É exatamente isto que o Senhor Jesus diz:
“...se você amar somente os que vos amam,
qual a recompensa? 
 ...amai, porém os vosso inimigos, fazei o bem...
sede misericordiosos como também
misericordioso é o vosso Pai.” (Lc6:32A-35A- 36)

Portanto, cuidado com os conselhos que recebe,
será se provêm de Deus?
Quando oramos, pedimos conselhos a Deus e
Ele no tempo Dele nos responderá,
mas como eu disse, pode demorar ou não.

A paciência é um dádiva, uma virtude que devemos
cultivar e não é fácil brotar em nós,
mas temos que perseverar um termos paciência.

A Bíblia diz: “Pedi e dar-se-vos-a...”,
vamos horar pedindo então, a Deus paciência,
para suportar nossos problemas,
forças para carregar a cruz
e esperar até que tudo se resolva e
quando se resolver não esquecer de
agradecer ao Senhor nosso Deus.
Que Deus os abençoe!!
Graça e paz!!
No amor do Senhor!!

Angela.

02 maio, 2017

DEUS SOBERANO

Olá amados irmãos!!
Que a graça e a paz do 
Senhor Jesus esteja sempre 
conosco e com as pessoas que amamos!!

Há uma canção que diz: 
“Senhor, eu sei que Tu me sondas, 
sei também que me conheces...”

Deus nos conhece mais que nós mesmos nos conhecemos, 
há lembranças que nossa mente já apagou, 
sonhos que já nos esquecemos, que Deus não se esquece.

Ele ainda conhece o amanhã, 
algo que para nós , é impossível.

No Salmo 7:9B diz assim: “...sondas mentes e coração, ó justo Deus.”

Salmo 139:1-10 diz: 
Senhor, Tu me sondas e me conheces. 
Sabe quando me assento e quando me levanto; 
de longe penetras os meus pensamentos. 
Esquadrinhas o meu deitar e o meu levantar 
e conheces todos os meus caminhos. 
Ainda a palavra não me chegou a língua e Tu, 
Senhor, já a conhece toda. 
Tu me cercas por trás e por diante e 
sobre mim pões a mão. 
Tal conhecimento é maravilhoso demais para mim:    
é sobremodo elevado, não o posso atingir. 
Para onde me ausentarei do Teu Espírito? 
Para onde fugirei da Tua face? 
Se subo ao céus, lá estas; 
se faço a minha cama no mais profundo abismo, 
lá estás também; 
se tomo as asas da alvorada e me detenho 
nos confins dos mares, 
ainda lá me haverá de guiar a Tua mão. 
A Tua destra me susterá.”

Aleluia!!!!
Glórias a Ti Senhor que por modo tão 
assombrosamente maravilhoso, 
nos formastes no ventre de nossa mãe,
glórias por não nos abandonar 
nem nos desamparar um instante sequer, 
por insistir em nos acompanhar, 
mesmo em nossas teimosias em querer seguir 
caminhos obscuros, obrigado por não desistir de nós, 
por nos fazer retornar ou seguir adiante, 
obrigado por ser longânimo  para conosco, 
por nos acompanhar quando não temos noção onde ir 
e abrir portas onde não havia e 
fechar as que iam nos fazer perecer.

Obrigado Pai, por nos sustentar a cada dia, 
nos dando o pão espiritual e o material, 
para sustento do corpo e da alma.
Por nunca tardar em responder as nossas queixas, 
que as vezes são muitas e creio que 
as vezes inconvenientes.

Pai obrigado por nos amparar mesmos quando 
queremos insistir no erro, 
mas o Senhor sempre nos dá uma nova chance.

Tu ó Soberano Deus, que sondas mentes e corações, 
venha nos sondar e ver se existe em nosso ser algo 
que Te desagrada e limpa-nos, 
para servirmos somente a Ti, 
alegrando o Teu Santo Espírito. 

Arranque de nós, raízes malignas que tentam 
nos afastar de Ti.
Que neste mês que se inicia, 
sejamos lavados pelo Teu sangue ó Jesus Bendito 
e que possa ser retirado de nossa mente 
e nosso coração tudo que não pertence a Ti.

Nossa mente fala de pensamentos, 
nosso coração fala de sentimentos, 
então, Pai amado, que nossos sentimentos 
e pensamentos sejam cativos somente a Ti, 
é o que eu vos peço por nós e nossos entes queridos, 
em nome de nosso 
Senhor e Salvador Jesus Cristo.
Amém!!

Que Deus os abençoe!!!!
Com amor, em Cristo!

Angela.

01 abril, 2017

QUE BOM SERIA SE CUMPRÍSSEMOS TUDO QUE JESUS MANDOU!!!!

Olá irmãos!
Mais uma vez estamos aqui,
para meditarmos mais um pouco,
nesta Palavra que é viva e eficaz,
que é nosso alimento espiritual,
pois, assim como alimentamos nosso corpo,
precisamos alimentar nosso espírito.

Infelizmente, temos visto em nossos dias,
guerras como a da Síria,
cidades inteiras estão destruídas por bombas,
naquele país,
como também foi destruído o Afeganistão
e tantos outros.

Infelizmente, naquelas regiões, a minoria
são cristãos e poucos já ouviram falar no
Senhor Jesus e em Seus ensinamentos.

Fico pensando, se as pessoas cumprissem a risca,
o que nosso Mestre nos ensinou,
como até as guerras poderiam ser evitadas!

Pense, se os lideres dessem a outra face,
se perdoassem as ofensas...
Com tanta coisa ruim poderia ser evitada.

Mesmo em nossos dia a dia,
no nosso convívio familiar,
profissional, estudantil, em nossa vizinhança,
se colocássemos em prática os ensinamentos
do Senhor Jesus, tantas inimizades seriam evitadas,
discórdias, dores, tristezas...

Em Provérbios 16:32diz assim:
Melhor é o longânimo do que o herói de guerra,
e o que domina o seu espírito,
do que o que toma uma cidade.”

Dominar o espírito, o apóstolo Paulo,
também falou sobre isto em Gálatas 5:23,
quando ele falou sobre o fruto do Espírito
chamadodomínio próprio.

Fácil, muito fácil falar, mas passar pela
circunstância de moderar e vencer a ira
e dar a outra face, de liberar um perdão...

Bom, sabemos que na prática é bem mais complicado,
colocar em prática é para alguns quase impossível.

Vou contar aqui, um breve testemunho:
Certa vez o Senhor me pediu para perdoar uma pessoa,
eu disse: não quero, não vou, não consigo.
Foi quando Ele me respondeu:
Realmente você não conseguirá, mas,
Eu lhe capacitarei a perdoar.”
E foi o que Ele fez,
me capacitou a algo humanamente impossível
para mim, mas com a ajuda Dele,
aconteceu algo sobrenatural,
perdoei  e meu coração foi curado.

Incrível, como as coisas com Deus se
tornam mais fáceis,
o objetivo é mais fácil ser alcançado,
os problemas parecem mais leves,
aquilo que nos atormenta,
se esvai como fumaça.

Assim, é nosso caminhar com Deus.
O problemas continuarão, as lutas,
infortúnios, a nossa cruz, mas,
tudo é mais ameno, mais leve quando Ele está conosco.

Quero pedir que orem comigo pela Síria,
por aqueles que perderam entes queridos
nesta guerra e que o Espírito Santo toque no coração
dos governantes para que haja um sessar fogo.

Que Deus os abençoe amados irmãos e amigos!
Que a graça e a paz do Senhor Jesus
seja sempre realidade na nossa vida e
na vida das pessoas que amamos.
Com amor, em Cristo,

Angela.

04 março, 2017

A CORAGEM DE SER PARA OS OUTROS - PARTE IV

Olá irmãos e amigos!!
Que a graça e a preciosa paz,
que somente Nosso Senhor e
Salvador Jesus Cristo pode nos dar,
inunde o nosso coração e a nossa mente
e que possamos depositar Nele,
todas as nossas expectativas, preocupações,
tristezas, desânimos, fraquezas...
enfim, tudo que nos aflige.
Pois, só e somente  Ele pode nos
defender, guardar, livrar...

Que nosso coração possa ser acalentado
pelo amor, pela graça e infinita misericórdia do no Deus.
Este amor inefável , inalcançável que Deus tem por nós
que nos levanta, nos faz seguir adiante,
tira de nós os sentimentos  ruins,
amor que transforma vidas dilaceradas,
que nos dá sempre novas chances de recomeçar.

Vou continuar colocando trechos interessantes do livro:
A Coragem e Ser Para os Outros”,
de Rainerson Israel:

“Jesus, sem dúvida, desperta  a curiosidade 
de diversos estudiosos.
Não são poucas as ciências e os intelectuais 
que se dedicam
a analisar a mente de Cristo. 
Suas palavras, Seus gestos e 
Sua sabedoria continuam
atraindo a atenção de muitos.
Penso até que seria mais fácil se todos se rendessem
de vez à clara percepção, Jesus o próprio Deus.
Ouso pensar que a melhor forma de uma pessoa se
relacionar com Deus seja através do silêncio.
 Se falássemos menos, 
com certeza ouviríamos mais o Senhor e,
concomitantemente, escutaríamos a dor do outro.
Mas, infelizmente, as tagarelices e os gritos
atraem bastante os evangélicos.
Nunca me esquecerei do dia em que 
uma pastora foi à nossa igreja
(Igreja Batista Central da Barra da Tijuca)
e nos convocou ao silêncio.
Era uma quarta-feira, e as pessoas 
produziam muitos ruídos
por meio das palmas, dos gritos e dos clamores.
Em determinado momento, ela disse:
 “Fazemos muito barulho porque não 
aprendemos a fazer silêncio.

Jesus me impressionou pela simplicidade de Seus
ensinamentos e gestos.
Diferentemente de Paulo que tinha um caráter
mais sistemático/conceitual,
Cristo, com Seu caipirismo, 
ofereceu-nos respostas simples
para vivermos abundantemente a vida.

Se estudarmos, por exemplo,
 a Doutrina da Salvação em 
Paulo ou em outros teólogos,
muito provavelmente seremos contemplados com
diversas e diferentes vertentes.
Não sou contra isso!
Gosto muito até.
No meio de tantas respostas e discussões,
Jesus diz:
Em verdade, vos digo que, 
se não vos converterdes
e não vos tornardes como crianças,
de modo algum entrareis no reino dos céus”.
Resposta simples, porém profunda.

Uma poetisa mineira chamada 
Adélia Prado constrói,
 em de seus poemas, 
uma das méis belas orações cristãs:
“Meu Deus, me dá cinco anos, me dá a mão,
me cura de ser grande...”
Esse texto revela um diagnóstico óbvio:
o mundo adulto carrega doenças.
E são enfermidades tão graves, 
que a poetisa mineira expressa,
através dessa singela oração,
 o seu desejo de cura da “adultice”.

Aliás, uma realidade confessada pelos sinóticos e
pelo evangelho Joanino é que até o próprio Deus se
fez menino, ou seja, deixou o mundo adulto, 
cansou-se de status.
Talvez seja por isso que amo o Natal.
A família reunida, o peru assado, 
a troca de presentes.
Não é o Natal uma celebração anual da infância?
Da infância de Jesus. Do Emanuel.
Do Deus menino.

Quantos adultos que sofrem ansiedade! 
Estão embebidos do amanhã,
acusados pelas vãs preocupações.

Rollo May, em seu livro 
O homem a procura de si mesmo,
diferencia medo de ansiedade.
Para esse autor,
“quando temos medo, 
sabemos o que nos ameaça,
somos dinamizados pela situação, 
nossa percepção é aguçada,
e tomamos medidas para fugir ou
evitar outras maneiras o perigo.
Quando estamos ansiosos, porém,
sentimo-nos ameaçados sem saber o que
fazer para enfrentar perigo.
A ansiedade é a sensação de estar agarrado,
 oprimido, e, em vez de tornar mais aguda a
percepção, em geral a torna embotada”.

Como o futuro não está sob nosso controle,
somos tomados pela ansiedade:
Será que vou casar?
 Os meus negócios vão prosperar?
 Vou conseguir engravidar?
O  vestibular é esse ano ou que eu quero?
Qual curso? O que serei? ...
Essas são perguntas são frequentes 
para homens e mulheres
tomadas pela ansiedade.

Você já parou para pensar que a única medida que
podemos tomar diante do futuro é o presente?
São decisões do agora que regerão 
os resultados do amanhã.
Viva intensamente o presente.

Em um sermão do Pr. Josué Valandro Jr.,
ele nos contou que, determinada manhã,
prometeu ao seu filho Gabriel, 
que brincaria com ele.
No entanto, o pastou precisou sair para resolver
muitas coisas e só voltou para casa tarde da noite.
Quando chegou, Gabriel ainda estava acordado,
esperando por ele.
As crianças não empurram a vida para amanhã;
elas querem viver o hoje,
pois aprendem a descansar.

Jesus disse:
 “Observai as aves dos céus... os lírios do campo...
Se Deus cuida tão bem assim das aves e dos lírios,
será que não cuidará de nós?

As crianças brincam!
Por outro lado, você já percebeu como tudo,
nas mãos dos adultos, é uma oportunidade de negócio/status.
O texto de Mateus 18 foi provocado por uma interessante
pergunta dos discípulos –
Quem é o maior no Reino dos céus?
 Eles estavam fazendo negócio com o Reino de Deus,
buscando status através da ministerialidade.
Jesus, incomodado com essa impertinente busca,
 chamou uma criança e a colocou no centro de Sua reflexão.
Estranhamente Jesus responde algo como:
“Para ser maior no Reino dos céus é preciso brincar!”

O ser para os outros quer despertar o homo ludens
que foi engolido pelo workaholic em nossa sociedade
moderna e urbana.
 Ele milita, com as armas de brinquedo,
contra vícios desse mundo sério e hostil.
A favor da paz, da família, do sorriso e da criança,
o ser para os outros deixa a inautenticidade à infância.

 Alguma vez você parou para pensar que temos
tempo demais para enchermos o nosso saldo bancário,
 mas pouquíssimo para nos divertirmos com a a família?

Entretanto, sei que as letras,
 muitas vezes enraizadas em nossos fundamentalismos,
podem sacrificar o salto.
A letra mata, mas o Espírito vivifica”.
Jesus já tinha dito:
 “Em verdade vos digo que, se não vos converterdes
e não vos tornardes como crianças,
de modo algum entrareis no reino dos céus”.
                      (Rainerson Israel)

Então amados irmãos, espero que a 
leitura tenha sido edificante!
Que Deus os abençoe e que este seja um mês
de paz e bênçãos em nome de Jesus!
Abraço!
Com amor em Cristo,
Angela.



02 fevereiro, 2017

A CORAGEM DE SER PARA OS OUTROS - PARTE III

Olá irmãos!
Graça de paz!!
Mais um mês se inicia e com ele,
as nossas metas, prioridades,
contas a pagar, planos, temores,
alegrias, trabalhos...
Mas, o quero dizer é que,
o que mais importa não é o que vai
acontecer dia 5, 11, 20, 25...
Mas cada dia, pois, basta a cada dia o próprio mal,
não que vai haver só o mal neste dia,
mas, é o que eu sempre digo e repito,
Deus não nos criou para o amanhã,
o dia de hoje é o suficiente,
os problemas de hoje são suficientes,
não suportamos mais que isto,
pois podemos até adoecer pela ansiedade.

Queridos amigos e irmãos,
quero colocar mais uma parte do livro de
Rainerson Israel –
A Coragem de Ser Para os Outros,
como sempre, tudo que leio e acho interessante,
compartilho com vocês.
Muito interessante esta meditação,
espero que seja edificante para todos.
Diz assim, então:
“A Competitividade é um dos grandes dogmas
da nossa civilização.
 As leis da seleção natural foram completamente
interiorizadas pelo mercado de trabalho de
nossa sociedade atual.
O que importa ao homem moderno é chegar lá.

Também nos relacionamentos interpessoais,
que são facilmente descartados,
o grande objetivo é ter sucesso, dinheiro, status.
Como diz Etienne, professor da UMESP,
o ser humano de hoje está
“isolado num mundo desprovido de solidariedade”.

Na conversa que Jesus teve com o apóstolo Pedro,
o Mestre lhe indagou:
“Simão, filho de João, tu me amas mais do que estes?”
Essa pergunta feita três vezes,
foi uma lembrança de Jesus acerca de um episódio
acontecido antes de sua crucificação.
Pedro não podia mensurar o amor que os outros discípulos
sentiam por Jesus, mas, no capítulo 13
do mesmo evangelho (de João),
ele tentou fazê-lo.
Sobressaindo-se aos demais discípulos, afirmou:
“Por que não posso seguir-Te agora,
darei minha vida por Ti” (Jo13:37).
Com as três perguntas de Jesus,
Pedro relembrou aquela noite na qual
negou a Cristo em três momentos.
Essa recordação o levou, no capítulo 21,
a reafirmar o seu amor, mas a se recusar a
fazer qualquer tipo de comparação
com os outros discípulos.
É necessário reagir à competitividade moderna
interiorizando, em nossa ética,
comunhão e a solidariedade.

As últimas palavras de Jesus ao Seu “formando”(Pedro),
depois de três anos de intensas atividades de ensino,
foram: “Apascente as minhas ovelhas”.
Três vezes Ele disse essas palavras.
Em sua última aula, Jesus mostrou que o cuidado
que devemos ter com o próximo é o fundamento
de nossa experiência com Cristo.

Amar a Deus sem amar o próximo é a porta de entrada
para o jugo dos antigos rabinos.
Uma fé divorciada das obras é como um corpo sem espírito.
A religiosidade fria dos antigos intérpretes  da Lei excluía
e menosprezava os mais fracos.
Os levitas e sacerdotes, por exemplo,
para cumprirem seus rituais de purificação,
passavam ao largo dos moribundos no caminho.
Jesus anuncia o “bom samaritano”
como paradigma da missão.

Em 5 de outubro de 2004, na Tailândia,
um grupo chamado “Businness as Mission”
– composto por 70 pessoas de vários continentes,
entre empresários (maioria), educadores,
advogados, pesquisadores e líderes da igreja
– participou do Fórum 2004 de Lausanne
abordando questões relativas aos propósitos
de Deus para trabalho e negócio, igreja e missão.
De todas as constatações importantes feitas
nesse evento, algumas podem ser destacadas:
a)      Cremos que Deus criou todos à Sua imagem,
para sermos criativos e criarmos coisas boas,
para nós mesmos e para os outros.
b)      Como devemos seguir os passos de Jesus,
que constante e consistentemente,
atendeu as necessidades das pessoas com
que se encontrou, demonstrando, assim,
o reino de Deus.
E a maioria delas tinha dificuldades físicas.
c)      Creio que o Espírito Santo capacita todos os
membros do corpo de Cristo para servir,
atender necessidades concretas à sua volta
e evidenciar o reino de Deus.
d)      Cremos que Deus chamou e capacitou
empreendedores para fazer diferença
no e através do seu negócio.
e)      Cremos que o Evangelho tem o poder
de transformar indivíduos, comunidades e sociedades.
Os cristãos do ramo empresarial podem
ser parte de um processo de transformação
integral através de sua empresa.
f)       Reconhecermos que há necessidade de
criação de empregos e empresas de
postura cristã em todo o mundo,
as quais tenham em vista quatro aspectos
fundamentais: transformação espiritual,
econômica, social e ambiental.”

(Rainerson  Israel)
Quero ressaltar as letras “d e f”, pois, falam sobre
o profissional fazer “diferença” como cristão,
na área que atua, sendo um missionário,
evangelista, mesmo sendo advogado, médico,
enfermeiro, gari, secretária, diarista, professor,
cabeleireiro...,
evangelizando e ajudando o próximo,
na sua área de atuação, sendo profissional liberal ou não.
Um missionário disfarçado de dentista, barbeiro,
supervisor, cozinheiro...
Como Deus quer te usar como instrumento,
na sua área, amigo!!!!

Diga a Ele:
Sim Senhor,
disponibilizo a minha vida a ajudar quem precisa,
encha meus lábios com Tuas santas palavras
de auxílio, para eu ajudar o aflito, ferido,
necessitado, oprimido, abatido, doente...
Amém!
Que Deus lhes abençoe!
Abraço!

Angela.

12 janeiro, 2017

A CORAGEM DE SER PARA OS OUTROS - II PARTE

Olá amados irmãos e amigos!
Vou continuar colocando aqui, 
uns trechos do livro: 
A coragem de ser para os outros” 
de Rainerson Israel:

“Quem é o ser humano? 
Essa intrigante pergunta nos coloca diante de nós mesmos. 
A teologia – tal como as diversas áreas do saber 
que tentam, através de suas metodologias, 
desvendar esse “ser”essencialmente insondável que somos – 
nos convida a percorrer o caminho da compreensão e 
busca oferecer-nos algumas respostas, ainda que provisórias. 
Afinal, não se trata de uma questão que possua 
respostas prontas, e nem mesmo as infindáveis brigas 
nos diversos campos do saber serão capazes de 
produzir algum gabarito. 

Uma indagação desse tipo nos leva à imensidão 
que está dentro de nós e dos nossos 
“outros relevantes”,os próximos.

“O ser humano canta e protesta, dança e agride, 
congrega e dispersa. (...) 
O ser humano circula pela rua, mas também 
se recolhe na intimidade. 
Ele se expande festivamente e tranca-se amargamente. 
É lógico e ilógico. 
Fala e silencia, grita e emudece, gargalha e enclausura-se. (...) 
O ser humano constrói maravilhas, mas também pode arrasá-las. 
Planta a semente e desintegra a germinação. (...) 
O ser humano sente necessidade de convivência e solidariedade, 
mas também é antissocial. 
A discriminação, o fanatismo e o sectarismo
esfiapam o tecido social. 
(...) O ser humano é águia altiva que recorta horizontes 
vastos e é também verme que rasteja.”

Essa definição de Juvenal Arduil, filósofo e antropólogo brasileiro, 
mostra como a nossa complexidade, evidente nas múltiplas 
faces que possuímos, não pode ser resumida em uma simples resposta. 
Entretanto, não podemos fugir do desafio 
de compreendermos o ser humano. 
Ao menos a mera percepção de nossa incapacidade 
de compreensão já nos oferece a humildade tão 
necessária nos relacionamentos e no aprendizado.

No capítulo 7 de sua carta aos Romanos, 
o apóstolo Paulo nos fornece uma linda visão sobre o homem. 
Especificamente a partir do versículo 14: 
Porque bem sabemos que a lei é espiritual; 
eu, todavia, sou carnal, vendido à escravidão do pecado.” 
Ele mergulha em si mesmo de tal forma profunda e honesta, 
que as conclusões resultantes de seu “mergulho existencial”
precisam ser ouvidas em qualquer espaço de onde se cultive 
um saber sobre o ser humano. 
Paulo conseguiu penetrar nos recônditos porões do nosso ser.

Santo Agostinho, em suas Confissões, 
muito provavelmente foi uma dessas pessoas. 
As poesias da alma que produziu eram, sem dúvida, 
a confissão da miséria humana e o grito de quem se 
sentiu tocado pela graça de Deus no mais íntimo do seu ser. 
“Quero recordar as minhas deformidades passadas 
e as imundícias carnais da minha alma...” 
são as sinceras palavras desse grande teólogo do século IV 
que visitou honestamente a si mesmo. 
Aprendamos com o texto paulino mais sobre o ser humano. 
E que esse aprendizado se torne um convite a uma 
espiritualidade mais humana e misericordiosa.

A soberania de Deus
Quando Paulo reconhece a sua miserabilidade, 
percebe o caráter universal e trágico da mesma. 
Ao analisar-se, descobre o ser frágil e impotente que é. 
A pergunta Quem me livrará do corpo dessa morte
Não pode ser respondida pelo homem, 
pois a resposta se encontra para além dele. 
É a percepção do vazio infinito que o ser humano carrega 
que o conduz à confissão de Deus. 

Não seria diferente com Paulo. 
Aliás, o vazio infinito é a pior sensação 
que um ateu precisa enfrentar. 
Santo Agostinho, em suas Confissões, disse: 
Porque tu nos fizeste para Ti, 
e o nosso coração está inquieto enquanto não repousar em Ti”.

Marx e Freud acreditavam no fim da religião. 
O primeiro considerava-a um “suspiro da criatura oprimida”; 
e o último, uma “ilusão infantil”. 
Ambos defendiam que ela experimentaria 
o seu fim com o advento das ciências. 
Contudo, ao contrário do que esperavam, 
hoje temos que lidar com uma explosão de religiões e religiosos. 
Exatamente porque o reconhecimento de nossa fragilidade 
e impotência faz com que nos encontremos com o Deus da vida. 
É Ele que preenche o vazio. 
Por isso, quando nos enchemos de nós e de 
nossa capacidade, nos distanciamos da presença de Deus.

Quem me livrará do corpo dessa morte? 
Pressupõe uma esperança, uma expectativa. 
Paulo, em 1 Coríntios 13:13, 
diz que a esperança está entre os três sentimentos que permanecem: 
Agora pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, 
estes três; porém o maior destes é o amor.” 
E o que Paulo espera? 
Ele quer se ver livre do corpo da morte 
(que não deve ser confundido com o corpo humano). 
O apóstolo não era grego e, portanto, 
não enxergava o corpo como uma prisão da alma. 
Aliás em sua teologia, Paulo sempre apreciou o corpo, 
chegando ao ponto de declarar, em sua carta aos Coríntios, 
que ele é o templo do Espírito Santo. 

Sabendo disso, qual era, então, a esperança de Paulo?
Falar de esperança é falar, indiscutivelmente, em Moltmann. 
Jurgen  Moltmann nasceu em 1926 na cidade 
de Hamburgo, na Alemanha. 
Cresceu num lar protestante, lutou na Segunda Guerra Mundial 
e tornou-se prisioneiro no período de 1934 a 1948, 
quando foi capturado pelos ingleses na Bélgica. 
Aprisionado em um campo da Escócia, 
Moltmann começou a se interessar por teologia. 
A experiência da guerra o havia colocado diante 
da indagação sobre a condição humana... 
“como falar de Deus depois de Auschwitz?
A esperança, para Moltmann, não é a possibilidade de a 
alma pairar em um céu imaginário de bem-aventurados 
que está longe do vale de lágrimas e desligado da terra; 
ela é um protesto profético contra a dor e o sofrimento. 
Nesse sentido, Moltmann diz que a ressurreição não é 
somente um consolo em uma vida ameaçada e condenada 
à morte, mas também a contradição criada por Deus contra 
o sofrimento e a morte, a humilhação, a ofensa e a maldade. 
E essa esperança torna o ser par os outros perpetuamente inquieto 
em meio  às sociedades humanas, que querem se estabilizar como 
“cidade permanente”. 
A promessa faz do ser para os outros
uma fonte de impulsos sempre novos 
para a realização do direito, da liberdade e 
da humanidade aqui mesmo, à luz do futuro predito que virá.”

                             (Rainerson Israel)

Espero que esta leitura tenha lhes acrescentado algo de bom e 
produtivo.
Gosto muito quando  o autor fala acima:
"...quando nos enchemos de nós e de nossa capacidade, 
nos distanciamos de Deus."

É como diz também a canção: 
"...Quando a mão de poder o seu ego tirar, 
sobre as ondas poderás andar...
solte o cabo da nau, tome os remos nas mãos e 
navegue com fé em Jesus, 
pois então tu verás que bonança se faz, 
pois com Ele seguro serás..."

As vezes estamos tão cheios de nós mesmos,
que não há espaço para Deus dentro de nós.

Que Deus nos abençoe neste ano que se inicia!!!
Desejo a todos um 2017 de paz, saúde, alegria....
presença e proteção de Deus para todos nós!!!

Jesus os abençoe!!
Com amor, em Cristo.
Angela.