"Ele está de braços abertos a lhe esperar, Ele está a lhe dizer, que o ama... Jesus te ama!!"

"Ele está de braços abertos a lhe esperar, Ele está a lhe dizer, que o ama...       Jesus te ama!!"

ATENÇÃO

OLÁ AMIGOS, MEU NOME É ANGELA, ESTE É UM TRABALHO INTERDENOMINACIONAL.
SOU EVANGELISTA E PROCURO CUMPRIR ESTA LINDA TAREFA DE LEVAR A PALAVRA DE DEUS ÀS PESSOAS, PARA HONRA E GLÓRIA DO NOME DO SENHOR JESUS.
ESTE BLOG SURGIU PELA SUGESTÃO DE UMA AMIGA, POIS, HAVIA ESCRITO UM LIVRO, E COMO NÃO TIVE A POSSIBILIDADE DE PUBLICÁ-LO, DEPOIS DE 5 ANOS GUARDADO, ELA ME SUGERIU EM 2010, COLOCÁ-LO EM UM BLOG.
FOI O QUE FIZ, O LIVRO É COMPOSTO DE CARTAS, AS QUAIS, IRÃO APARECER EMBAIXO NA TELA, POR SER UM BLOG E NÃO UM SITE.
PARA VISUALIZAR O LIVRO NA ÍNTEGRA, CLIQUE EM 2010.
ALÉM DAS CARTAS, POSTO O QUE EU ESCREVO OU DE OUTROS AUTORES, QUE LEIO E ACHO INTERESSANTE COMPARTILHAR.
QUE DEUS OS ABENÇOE MUITO!!!!!!!!
LEIA E COMPARTILHE!
GRAÇA E PAZ!
COM AMOR EM CRISTO JESUS,
ANGELA

Páginas

Arca de Noé... Arca da Aliança... JESUS ARCA DE AMOR!

Em Mt 24:12 está escrito: "E por se multiplicar a iniquidade, o amor se esfriará de quase todos". Se Deus é amor, e se o amor esfriar, o próprio Deus se esfriará nos corações. Que coisa terrível! Deus se esfriando em nossas vidas! Mas Ele disse de: "quase todos", ou seja haverá aqueles nos quais o amor, não se esfriará. Aleluia! Louvado seja Deus por isto. Então, este Blog, é uma tentativa de barrar este processo, não deixando que este amor se esfrie nunca. Pois, foi por amor que Ele morreu por mim e por ti. E nunca deixaremos de amá-Lo, nem aos Teus filhos. Amém

EXPLICAÇÃO DO TÍTULO

• No tempo do Antigo Testamento, o coração do homem se corrompeu de tal forma que Deus se arrependeu de tê-lo feito, pois este se tornou mau, olhando apenas o que os olhos podiam ver, esquecendo-se do que se passa no interior do ser humano, os sentimentos e virtudes.
E Deus achou em Noé um homem justo e o salvou e também a sua família ordenando-o a construir uma arca.

Chamada de
ARCA DE NOÉ.

• No tempo de Moisés, Deus ordenou que se fizesse uma caixa na qual estariam os Dez Mandamentos dentre outros itens, ela era de madeira de acácia revestida de ouro puro, ficava num lugar chamado Tabernáculo, dentro do Santo dos Santos e só os sacerdotes tinham acesso a ela, uma vez por ano, no Tabernáculo também se sacrificavam cordeiros, bodes, etc, pois, acreditavam que o sangue destes animais os purificava de pecados.

Esta arca se chamava, ARCA DA ALIANÇA.

• Mas, Aleluia! Deus enviou Seu Filho Unigênito para derramar Seu sangue para perdão dos pecados da humanidade inteira, “o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo”, e de uma vez por todas, levou sobre Ele nossos pecados, não havendo mais necessidade de sacrifício de animais, e ao morrer, o véu que separava o Santo dos Santos do Tabernáculo, foi rasgado de alto a baixo, ou seja, isto significa, que o lugar em que se tinha acesso a Deus, uma vez por ano, e só o sacerdote poderia entrar, com o sacrifício de Jesus, todos os seres humanos, podem ter esse acesso à presença Dele, 24 horas por dia, o ano inteiro, como era desde o início da criação, quando o homem tinha plena comunhão e acesso a Deus. Ou seja, Jesus nos resgatou de volta ao nosso Criador. Restaura o coração corrompido pelo pecado e afastado de Deus, nos levando de volta a presença do Pai.

Onde a Arca da Aliança estivesse, aquele lugar era abençoado, pois, ela simbolizava a presença de Deus.
Com a morte e ressurreição de Jesus, ali em Pentecostes, o Espírito Santo foi derramado, sobre as pessoas, nos tornando esse templo (lugar de morada de Deus), e portanto, somos abençoados onde formos, pois, o Espírito Santo de Deus habita em nós.
" Deus nos amou de tal maneira que deu Seu filho Unigênito para que todo aquele que Nele crer não pereça, mas, tenha vida eterna”. (Jo 3:16)
AMOU, foi por amor que Ele nos salvou, por isto, o título:
JESUS, ARCA DE AMOR!

****************************************************************
QUEM SOU EU
Meu nome é Angela, sou casada, tenho dois filhos, sou do estado de Minas Gerais, e, através de um chamado de Deus, trabalhei muitos anos, com pessoas com problemas diversos,
presidiários, etc.
Escrevendo cartas, com base evangelística para várias lugares do Brasil, hoje continuo escrevendo cartas específicas, para cada situação difícil do cotidiano das pessoas, dilemas com drogas, casamentos, depressão, enfermidades, perdas de entes queridos, etc.
Meu plano inicial, era publicar em um livro, as quase 300 páginas que eu havia escrito, mas, não foi possível, pelo alto custo.
Foi então, após estas cartas ficarem guardadas quase 5 anos, resolvi publica-las neste Blog.
O livro foi postado em 2010.
É só clicar lá.
Não recebo recursos financeiros por este trabalho, mas, creio que a recompensa vem do alto.
O que peço é a proteção para minha família, em especial meus filhos, marido...
São palavras, vindas do coração de Deus, pois, foi em lágrimas e lutas, que muitas delas escrevi.
Sou, apenas um instrumento nas mãos do Senhor, para levar a Palavra Dele.
Me formei em Administração (não exerço a profissão) e Teologia, além de estudar a Palavra de Deus, anos a fio, com lutas e provações.

Muitas coisas não coloco só como teoria, pois, várias senti na carne e no espírito, então foi experiência vivida, que Deus me permitiu passar, para ajudar quem estivesse passando pelos mesmos problemas.

O que procuro fazer, é ser fiel nas palavras que Deus coloca em meu coração, e faço o possível, para transmiti-las da forma mais coerente e eficaz possível.

Espero, que este Blog possa te ajudar a passar pelas lutas e dificuldades, possa também, levar a você a alegria e a paz que só Jesus pode dar e saber que por maior que seja a luta, você não está só, tem pessoas que (se você procurar uma igreja) te ajudarão em oração e o Senhor estará contigo para te livrar e te ajudar.

Deus lhe abençoe e saiba que você é muito amado por Deus.
Um grande abraço.
Com amor, em Cristo,
Angela.

Meu e-mail é: amserrap@yahoo.com.br
Dê sua sugestão, opinião, diga o que achou do Blog.
Para mim, é muito importante seu comentário.
Obrigada!







MENSAGENS DE EXORTAÇÃO

12 janeiro, 2017

A CORAGEM DE SER PARA OS OUTROS - II PARTE

Olá amados irmãos e amigos!
Vou continuar colocando aqui, 
uns trechos do livro: 
A coragem de ser para os outros” 
de Rainerson Israel:

“Quem é o ser humano? 
Essa intrigante pergunta nos coloca diante de nós mesmos. 
A teologia – tal como as diversas áreas do saber 
que tentam, através de suas metodologias, 
desvendar esse “ser”essencialmente insondável que somos – 
nos convida a percorrer o caminho da compreensão e 
busca oferecer-nos algumas respostas, ainda que provisórias. 
Afinal, não se trata de uma questão que possua 
respostas prontas, e nem mesmo as infindáveis brigas 
nos diversos campos do saber serão capazes de 
produzir algum gabarito. 

Uma indagação desse tipo nos leva à imensidão 
que está dentro de nós e dos nossos 
“outros relevantes”,os próximos.

“O ser humano canta e protesta, dança e agride, 
congrega e dispersa. (...) 
O ser humano circula pela rua, mas também 
se recolhe na intimidade. 
Ele se expande festivamente e tranca-se amargamente. 
É lógico e ilógico. 
Fala e silencia, grita e emudece, gargalha e enclausura-se. (...) 
O ser humano constrói maravilhas, mas também pode arrasá-las. 
Planta a semente e desintegra a germinação. (...) 
O ser humano sente necessidade de convivência e solidariedade, 
mas também é antissocial. 
A discriminação, o fanatismo e o sectarismo
esfiapam o tecido social. 
(...) O ser humano é águia altiva que recorta horizontes 
vastos e é também verme que rasteja.”

Essa definição de Juvenal Arduil, filósofo e antropólogo brasileiro, 
mostra como a nossa complexidade, evidente nas múltiplas 
faces que possuímos, não pode ser resumida em uma simples resposta. 
Entretanto, não podemos fugir do desafio 
de compreendermos o ser humano. 
Ao menos a mera percepção de nossa incapacidade 
de compreensão já nos oferece a humildade tão 
necessária nos relacionamentos e no aprendizado.

No capítulo 7 de sua carta aos Romanos, 
o apóstolo Paulo nos fornece uma linda visão sobre o homem. 
Especificamente a partir do versículo 14: 
Porque bem sabemos que a lei é espiritual; 
eu, todavia, sou carnal, vendido à escravidão do pecado.” 
Ele mergulha em si mesmo de tal forma profunda e honesta, 
que as conclusões resultantes de seu “mergulho existencial”
precisam ser ouvidas em qualquer espaço de onde se cultive 
um saber sobre o ser humano. 
Paulo conseguiu penetrar nos recônditos porões do nosso ser.

Santo Agostinho, em suas Confissões, 
muito provavelmente foi uma dessas pessoas. 
As poesias da alma que produziu eram, sem dúvida, 
a confissão da miséria humana e o grito de quem se 
sentiu tocado pela graça de Deus no mais íntimo do seu ser. 
“Quero recordar as minhas deformidades passadas 
e as imundícias carnais da minha alma...” 
são as sinceras palavras desse grande teólogo do século IV 
que visitou honestamente a si mesmo. 
Aprendamos com o texto paulino mais sobre o ser humano. 
E que esse aprendizado se torne um convite a uma 
espiritualidade mais humana e misericordiosa.

A soberania de Deus
Quando Paulo reconhece a sua miserabilidade, 
percebe o caráter universal e trágico da mesma. 
Ao analisar-se, descobre o ser frágil e impotente que é. 
A pergunta Quem me livrará do corpo dessa morte
Não pode ser respondida pelo homem, 
pois a resposta se encontra para além dele. 
É a percepção do vazio infinito que o ser humano carrega 
que o conduz à confissão de Deus. 

Não seria diferente com Paulo. 
Aliás, o vazio infinito é a pior sensação 
que um ateu precisa enfrentar. 
Santo Agostinho, em suas Confissões, disse: 
Porque tu nos fizeste para Ti, 
e o nosso coração está inquieto enquanto não repousar em Ti”.

Marx e Freud acreditavam no fim da religião. 
O primeiro considerava-a um “suspiro da criatura oprimida”; 
e o último, uma “ilusão infantil”. 
Ambos defendiam que ela experimentaria 
o seu fim com o advento das ciências. 
Contudo, ao contrário do que esperavam, 
hoje temos que lidar com uma explosão de religiões e religiosos. 
Exatamente porque o reconhecimento de nossa fragilidade 
e impotência faz com que nos encontremos com o Deus da vida. 
É Ele que preenche o vazio. 
Por isso, quando nos enchemos de nós e de 
nossa capacidade, nos distanciamos da presença de Deus.

Quem me livrará do corpo dessa morte? 
Pressupõe uma esperança, uma expectativa. 
Paulo, em 1 Coríntios 13:13, 
diz que a esperança está entre os três sentimentos que permanecem: 
Agora pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, 
estes três; porém o maior destes é o amor.” 
E o que Paulo espera? 
Ele quer se ver livre do corpo da morte 
(que não deve ser confundido com o corpo humano). 
O apóstolo não era grego e, portanto, 
não enxergava o corpo como uma prisão da alma. 
Aliás em sua teologia, Paulo sempre apreciou o corpo, 
chegando ao ponto de declarar, em sua carta aos Coríntios, 
que ele é o templo do Espírito Santo. 

Sabendo disso, qual era, então, a esperança de Paulo?
Falar de esperança é falar, indiscutivelmente, em Moltmann. 
Jurgen  Moltmann nasceu em 1926 na cidade 
de Hamburgo, na Alemanha. 
Cresceu num lar protestante, lutou na Segunda Guerra Mundial 
e tornou-se prisioneiro no período de 1934 a 1948, 
quando foi capturado pelos ingleses na Bélgica. 
Aprisionado em um campo da Escócia, 
Moltmann começou a se interessar por teologia. 
A experiência da guerra o havia colocado diante 
da indagação sobre a condição humana... 
“como falar de Deus depois de Auschwitz?
A esperança, para Moltmann, não é a possibilidade de a 
alma pairar em um céu imaginário de bem-aventurados 
que está longe do vale de lágrimas e desligado da terra; 
ela é um protesto profético contra a dor e o sofrimento. 
Nesse sentido, Moltmann diz que a ressurreição não é 
somente um consolo em uma vida ameaçada e condenada 
à morte, mas também a contradição criada por Deus contra 
o sofrimento e a morte, a humilhação, a ofensa e a maldade. 
E essa esperança torna o ser par os outros perpetuamente inquieto 
em meio  às sociedades humanas, que querem se estabilizar como 
“cidade permanente”. 
A promessa faz do ser para os outros
uma fonte de impulsos sempre novos 
para a realização do direito, da liberdade e 
da humanidade aqui mesmo, à luz do futuro predito que virá.”

                             (Rainerson Israel)

Espero que esta leitura tenha lhes acrescentado algo de bom e 
produtivo.
Gosto muito quando  o autor fala acima:
"...quando nos enchemos de nós e de nossa capacidade, 
nos distanciamos de Deus."

É como diz também a canção: 
"...Quando a mão de poder o seu ego tirar, 
sobre as ondas poderás andar...
solte o cabo da nau, tome os remos nas mãos e 
navegue com fé em Jesus, 
pois então tu verás que bonança se faz, 
pois com Ele seguro serás..."

As vezes estamos tão cheios de nós mesmos,
que não há espaço para Deus dentro de nós.

Que Deus nos abençoe neste ano que se inicia!!!
Desejo a todos um 2017 de paz, saúde, alegria....
presença e proteção de Deus para todos nós!!!

Jesus os abençoe!!
Com amor, em Cristo.
Angela.